Skip links

O que é o IPFS: A revolução do armazenamento descentralizado na Web?

$1.87

7.87%

O InterPlanetary File System, ou vulgarmente conhecido como IPFS, é um protocolo e rede peer-to-peer concebido para criar um método mais eficiente e descentralizado de armazenar e aceder a informação na Web.

Ao contrário da Web tradicional baseada na localização, o IPFS organiza os dados de acordo com o seu conteúdo, atribuindo-lhes uma impressão digital única denominada CID (Content ID). Isto significa que, em vez de depender de servidores centralizados, a informação é distribuída por uma rede de nós, permitindo um acesso mais rápido, resistência à censura e maior eficiência no armazenamento e recuperação de dados. Em suma, o IPFS representa uma evolução para uma Web mais descentralizada, em que a informação é partilhada de forma eficiente e resistente através de uma rede global de utilizadores.

como funciona ipfs

Como nasceu o IPFS?

O IPFS, o Sistema de Ficheiros Interplanetário, foi concebido por Juan Benet, um empresário e cientista informático, como uma solução para resolver as limitações e os desafios associados ao modelo tradicional de armazenamento e distribuição de dados baseado na Web.

Juan Benet fundou a Protocol Labs em 2014 com a visão de criar protocolos de código aberto para melhorar a forma como a informação é armazenada e partilhada na era digital. O IPFS surgiu como um dos principais projectos do Protocol Labs.

A motivação subjacente à criação do IPFS foi a resolução de problemas fundamentais da arquitetura convencional da Web. A Web tradicional baseia-se fortemente num modelo servidor-cliente, em que os dados são centralizados em servidores específicos. Isto pode levar a problemas como pontos únicos de falha, censura e dependência significativa de infra-estruturas centralizadas.

Com o IPFS, Juan Benet propôs uma abordagem radicalmente diferente: um sistema de ficheiros distribuído e descentralizado baseado na tecnologia blockchain e na ideia de conteúdo endereçável por um hash único (CID). Ao organizar a informação desta forma, o IPFS procurou melhorar a eficiência, a resistência à censura e a rapidez da recuperação de dados em comparação com os métodos tradicionais.

Desde a sua conceção, a IPFS evoluiu e ganhou reconhecimento na comunidade tecnológica e de blockchain como uma tecnologia promissora para a construção de uma Web mais resiliente e descentralizada. O seu desenvolvimento contínuo foi realizado com a contribuição de programadores de todo o mundo e o projeto influenciou iniciativas relacionadas com a descentralização da Web e a melhoria da infraestrutura de armazenamento em linha.

Como é que o IPFS funciona?

O IPFS (InterPlanetary File System) funciona utilizando uma abordagem descentralizada, baseada em nós, para armazenar e recuperar informações. Apresentamos-te um resumo do seu funcionamento:

  1. Identificação do conteúdo (CID):
    • Cada informação no IPFS é identificada por um hash único chamado CID (Content ID). Este CID é derivado do próprio conteúdo, o que significa que dois conjuntos de dados idênticos terão o mesmo CID, proporcionando uma forma eficiente de aceder e verificar informações.
  2. Distribuição de conteúdos:
    • Quando um usuário adiciona um arquivo ao IPFS, o sistema divide o arquivo em blocos menores.
    • Cada bloco é identificado pelo seu CID único.
    • Estes blocos são distribuídos pela rede IPFS através de um processo de encaminhamento baseado na DHT (Distributed Hash Table), que liga os nós com base nos CIDs.
  3. Nós pares:
    • Os nós da rede IPFS podem atuar como clientes e servidores ao mesmo tempo. Cada nó armazena alguns blocos de dados e pode solicitar blocos em falta a outros nós.
  4. Recuperação de conteúdos:
    • Quando um utilizador pretende aceder a um ficheiro, o CID do ficheiro é utilizado para localizar os nós que armazenam os blocos correspondentes.
    • Os nós recuperam os blocos e entregam-nos ao utilizador, permitindo a reconstrução do ficheiro original.
  5. Cache e persistência:
    • O IPFS implementa um mecanismo de cache em que os nós armazenam temporariamente os blocos a que acedem, o que melhora a eficiência ao reduzir a necessidade de recuperar repetidamente os mesmos blocos.
    • Além disso, os nós podem optar por armazenar persistentemente blocos específicos no disco para melhorar a disponibilidade a longo prazo.
  6. Descentralização e Resiliência:
    • Como os dados são distribuídos por vários nós da rede, o IPFS é resistente à censura e a falhas de pontos. Não existe um ponto único de falha e a rede pode recuperar mesmo que alguns nós sejam desligados.

como funciona ipfs

Casos de utilização do IPFS

  1. Armazenamento e distribuição descentralizados de conteúdos:
    • O IPFS é utilizado para armazenar e distribuir conteúdos de forma descentralizada. Os ficheiros são divididos em blocos e distribuídos pela rede IPFS, melhorando a resiliência e a disponibilidade dos conteúdos.
  2. Sítios Web descentralizados (DWeb):
    • O IPFS é ideal para a construção de sítios Web descentralizados (DWeb), permitindo que os ficheiros Web sejam armazenados e servidos de forma distribuída. Isto reduz a dependência de servidores centralizados e melhora a resistência à censura.
  3. Partilha e colabora no conteúdo:
    • O IPFS facilita a colaboração e a partilha de ficheiros entre utilizadores. Uma vez que cada ficheiro tem um CID único, os utilizadores podem aceder a ficheiros partilhados sem dependerem de um servidor central.
  4. Aplicações descentralizadas (DApps):
    • As DApps podem utilizar o IPFS para armazenar dados de forma descentralizada em vez de dependerem de servidores centralizados. Contribui assim para a resiliência e a integridade dos dados em aplicações descentralizadas.
  5. Armazenamento permanente de dados:
    • O IPFS pode ser utilizado para armazenar dados permanentemente. Os ficheiros armazenados na rede IPFS são distribuídos entre os nós, o que ajuda a preservar a integridade e a acessibilidade dos dados ao longo do tempo.
  6. Gestão de versões de dados:
    • Como cada alteração em um arquivo gera um novo CID, o IPFS facilita o gerenciamento de versões de dados. Os utilizadores podem aceder e verificar eficazmente as versões anteriores dos ficheiros.
  7. Aplicações em redes desconectadas ou com conetividade limitada:
    • O IPFS é útil em ambientes onde a conetividade com a Internet é limitada ou intermitente. Os nós IPFS locais podem armazenar e servir conteúdos, permitindo o acesso mesmo em condições de rede adversas.
  8. Armazenamento de dados na Internet das Coisas (IoT):
    • O IPFS pode ser utilizado para armazenar e distribuir dados gerados por dispositivos IoT de forma descentralizada, proporcionando maior eficiência e resiliência.
  9. Ficheiros autenticados e não modificáveis:
    • Devido à natureza dos CIDs únicos e à estrutura descentralizada, o IPFS pode ser utilizado para criar sistemas de ficheiros imutáveis e autenticados, onde a integridade dos ficheiros pode ser verificada de forma eficiente.

Projectos de cadeia de blocos com IPFS

  1. Filecoin:
    • Filecoin é um projeto que utiliza o IPFS para criar um mercado descentralizado de armazenamento em nuvem. Os utilizadores podem vender e comprar espaço de armazenamento utilizando a criptomoeda FIL. O IPFS funciona como o sistema subjacente para o armazenamento de dados.
  2. Ethereum Swarm:
    • O Ethereum Swarm faz parte do ecossistema Ethereum e centra-se no fornecimento de armazenamento descentralizado para a cadeia de blocos Ethereum. O Swarm utiliza o IPFS como uma das suas opções de armazenamento para permitir uma distribuição eficiente dos dados.
  3. Arweave:
    • Arweave é uma plataforma de blockchain que usa IPFS para resolver o problema da permanência de dados na web. A Arweave armazena os dados de forma descentralizada na rede IPFS, garantindo a permanência da informação a longo prazo.
  4. Descentraliza-te:
    • O Decentraland, um projeto de realidade virtual baseado no Ethereum, utiliza o IPFS para armazenar conteúdos como imagens e ficheiros 3D. Isto permite aos utilizadores aceder e carregar conteúdos diretamente a partir da rede IPFS.
  5. Aragão:
    • Aragon, uma plataforma para a criação e gestão de organizações descentralizadas (DAO), utiliza o IPFS para armazenar documentos e ficheiros relacionados com as DAO. Garante assim a disponibilidade e a resiliência das informações associadas às decisões tomadas na plataforma.

Vantagens do IPFS em 2023:

  1. Descentralização:
    • O IPFS oferece um modelo descentralizado de armazenamento e distribuição de conteúdos, eliminando a dependência de servidores centralizados e proporcionando maior resiliência e redundância.
  2. Eficiência da rede:
    • Ao utilizar o encaminhamento baseado em DHT (Distributed Hash Table), o IPFS pode facilitar a distribuição eficiente de conteúdos através da rede, reduzindo a latência e melhorando a velocidade de acesso aos dados.
  3. Armazenamento permanente:
    • A estrutura IPFS, com o seu sistema único de CID e descentralização, contribui para a permanência dos dados ao longo do tempo, evitando problemas associados à perda de dados ou a alterações não autorizadas.
  4. Resiste à censura:
    • Devido à sua natureza distribuída, o IPFS é resistente à censura, uma vez que não existe um único ponto de controlo. Isto pode ser benéfico em ambientes onde a censura é uma preocupação.
  5. Integração com Blockchain:
    • O IPFS integra-se bem com muitas cadeias de blocos, e projectos como o Filecoin utilizam o IPFS para gerir o armazenamento descentralizado de dados.

Desvantagens do IPFS em 2023:

  1. Adoção total:
    • Embora tenha ganho força, o IPFS ainda não foi adotado em massa em todos os cantos da Web. A adoção plena poderá demorar algum tempo devido à necessidade de alterar as infra-estruturas existentes.
  2. Complexidade de utilização:
    • Para os utilizadores não técnicos, o IPFS pode parecer complexo em comparação com as soluções de armazenamento tradicionais. A adoção em massa pode depender de interfaces de utilizador mais amigáveis.
  3. Consumo de recursos:
    • A execução de um nó IPFS pode consumir recursos significativos, especialmente em termos de armazenamento e largura de banda. Isto pode ser um obstáculo para dispositivos com recursos limitados.
  4. Segurança:
    • Embora o IPFS ofereça resistência à censura, a segurança dos dados pode depender da implementação e configuração específicas do nó. A falta de conhecimento ou a configuração incorrecta podem representar riscos de segurança.
  5. Desafios de escalabilidade:
    • À medida que o IPFS cresce, podem surgir desafios de escalabilidade em termos de gestão da rede e dos recursos necessários para manter a eficiência.

Rumo a um futuro descentralizado com o IPFS

Num mundo digital cada vez mais interligado, a necessidade de sistemas de armazenamento e distribuição eficientes, seguros e descentralizados torna-se crítica. Neste contexto, o IPFS surge como uma tecnologia revolucionária que não só promete mudar a forma como partilhamos e acedemos à informação na Web, como também desafia os paradigmas tradicionais do armazenamento centralizado.

O IPFS provou ser uma solução poderosa para a descentralização do armazenamento, oferecendo vantagens fundamentais como a resistência à censura, a eficiência na distribuição de conteúdos e uma arquitetura única baseada em CID. Projectos inovadores, desde mercados descentralizados a sistemas de armazenamento em nuvem, estão a adotar o IPFS para tirar partido das suas capacidades únicas e construir um ecossistema mais resiliente.

No entanto, o caminho para a adoção em massa não está isento de desafios. A complexidade sentida por alguns utilizadores e os recursos necessários para gerir os nós IPFS são factores que têm de ser resolvidos para que o IPFS atinja todo o seu potencial. A educação e a criação de interfaces mais fáceis de utilizar poderão abrir caminho a uma adoção mais generalizada.

Em 2023, o IPFS não é apenas uma tecnologia promissora, mas um componente fundamental na evolução para uma Internet mais descentralizada e resiliente. A sua capacidade para transformar a forma como armazenamos e partilhamos dados é inegável e, à medida que mais projectos a integram nos seus sistemas, é plausível esperar um futuro em que a descentralização seja a norma e não a exceção.

O investimento em cripto-activos não está regulamentado, pode não ser adequado para pequenos investidores e o montante total investido pode ser perdido. É importante leres e compreenderes os riscos deste investimento, que são explicados em pormenor.

Contáctanos
Contáctanos
Hola 👋 ¿En qué podemos ayudarte?