Skip links

Como criar uma aplicação descentralizada (dapp) na Blockchain?

$1.87

7.87%

Introdução:

As aplicações descentralizadas, ou DApps, estão a mudar a forma como interagimos com a tecnologia. Desenvolvidas em plataformas blockchain, as DApps oferecem uma abordagem descentralizada e transparente a uma variedade de sectores, desde as finanças aos jogos e às redes sociais. Neste guia, vamos mostrar-te como criar a tua própria DApp, passo a passo, e explorar os conceitos fundamentais que precisas de compreender.

Conceitos fundamentais

Blockchain e o seu papel nas DApps:

As DApps baseiam-se na tecnologia blockchain, um registo público e descentralizado que garante a integridade dos dados. Cada bloco de dados está ligado de forma segura ao anterior, tornando a informação imutável e à prova de adulteração.

  • A estrutura da Blockchain: A blockchain, no seu núcleo, é um livro digital distribuído que armazena informações de forma descentralizada. Em vez de depender de um servidor central, a cadeia de blocos funciona numa rede de nós, garantindo maior segurança e resistência à manipulação. Cada dado, conhecido como “bloco”, está ligado a outro cronologicamente, formando assim uma cadeia imutável de informações. Esta estrutura em cadeia garante que os dados a montante não podem ser modificados sem afetar todos os blocos a jusante. Consequentemente, a informação armazenada na cadeia de blocos é inviolável e garante a integridade dos dados.
  • Transparência e confiança: Um dos atributos mais notáveis da blockchain é a sua transparência. Qualquer pessoa pode aceder às informações registadas na cadeia de blocos em tempo real. Isto significa que, no contexto das DApps, os utilizadores podem verificar publicamente todas as transacções e acções realizadas na aplicação. Isto cria um elevado nível de confiança, uma vez que não há necessidade de recorrer a intermediários ou terceiros para validar as transacções. A transparência é também fundamental para a auditoria e a responsabilização.
  • Segurança e resiliência: A segurança é um pilar fundamental da cadeia de blocos. A descentralização e a imutabilidade garantem que os dados armazenados são altamente resistentes à manipulação. Para alterar um bloco de dados, um atacante teria de modificar não só esse bloco, mas também todos os blocos subsequentes na cadeia, o que é praticamente impossível em redes de cadeias de blocos bem estabelecidas.
  • Contratos inteligentes como motor para DApps: Os contratos inteligentes são programas autónomos que funcionam na cadeia de blocos e permitem a automatização de acordos e transacções sem a necessidade de intermediários. Estes contratos são o principal motor que impulsiona a funcionalidade de muitas DApps. Os contratos inteligentes podem conter lógica programável que determina como as transacções são realizadas e como as regras de aplicação são aplicadas. Ao correrem numa rede descentralizada e serem imutáveis, os contratos inteligentes trazem um elevado grau de fiabilidade e segurança às DApps.
  • Impacto na descentralização: A combinação de blockchain e contratos inteligentes abriu caminho para uma maior descentralização em vários sectores. As DApps podem permitir que as pessoas interajam diretamente, sem necessidade de intermediários, e podem promover a criação de ecossistemas económicos e sociais descentralizados.

Contratos inteligentes:

Os contratos inteligentes são um dos pilares fundamentais que permitem a existência e o funcionamento de aplicações descentralizadas (DApps) na tecnologia blockchain. Para compreenderes plenamente a sua importância, é essencial compreenderes como funcionam e como são aplicados no ecossistema DApps.

  • Execução autónoma: Os contratos inteligentes são programas de computador que são executados de forma autónoma numa rede blockchain. Estes programas são armazenados na cadeia de blocos e são activados quando se verificam determinadas condições predefinidas. Isto significa que os contratos inteligentes são auto-suficientes e não requerem a intervenção de terceiros ou de intermediários humanos para funcionarem. Esta automatização é essencial para a descentralização e eficiência das DApps.
  • Lógica programável: A lógica de um contrato inteligente é programável e pode ser personalizada de acordo com as necessidades de um DApp específico. Os programadores definem as regras e condições do contrato inteligente de acordo com o objetivo da aplicação. Isto inclui condições como o momento em que as transacções são executadas, quem pode participar e como os fundos são tratados. A flexibilidade na programação destes contratos permite uma vasta gama de aplicações, desde sistemas financeiros descentralizados (DeFi) a jogos e votações electrónicas.
  • Confiança e transparência: Os contratos inteligentes são imutáveis uma vez implantados na blockchain, o que significa que não podem ser modificados ou interrompidos sem o consenso da rede. Esta caraterística garante a fiabilidade e a transparência das operações. Os utilizadores de uma DApp podem estar confiantes de que as regras estabelecidas no contrato inteligente serão aplicadas de forma consistente e sem risco de fraude.
  • Execução descentralizada: Os contratos inteligentes são executados na rede blockchain, o que significa que não dependem de um servidor central ou de uma entidade de controlo. Cada nó da rede verifica e executa o contrato inteligente de forma independente, o que garante a distribuição da confiança. Isto é essencial para a descentralização e a eliminação dos intermediários, uma vez que não é necessário depender de uma única entidade.
  • Transacções e Tokenização: Os contratos inteligentes gerem frequentemente transacções financeiras e podem envolver tokens criptográficos. Por exemplo, um contrato inteligente pode ser utilizado para criar e transferir tokens num DApp. Isto permite a criação de sistemas financeiros descentralizados e a troca de activos digitais de forma segura e sem a necessidade de uma instituição financeira tradicional.

dapp blockchain soluciones

Planeamento

Definição dos objectivos:

Antes de embarcares na excitante aventura de criar uma DApp, é essencial que sejas claro quanto aos teus objectivos. A definição dos teus objectivos vai dar-te uma orientação clara e um roteiro sólido para o desenvolvimento da tua aplicação descentralizada. Aqui está uma extensão da importância de definir os teus objectivos:

  • Tipo de DApp: Em primeiro lugar, tens de determinar o tipo de DApp que pretendes criar. As DApps podem ser de vários tipos, como financeiras, de jogos, de identidade, de governação, de cuidados de saúde, entre outras. Cada tipo tem as suas características e desafios únicos, por isso escolhe de acordo com o teu interesse e experiência, bem como com o mercado-alvo que pretendes atingir.
  • Objetivo: Depois de identificares o tipo de DApp, é crucial definir o seu objetivo. Qual é o problema ou necessidade específica que a tua DApp pretende resolver? A identificação de um objetivo claro é essencial para determinar o valor que trará aos utilizadores e a forma como se diferenciará de outras aplicações no mercado. Por exemplo, uma DApp financeira poderia ter como objetivo facilitar os empréstimos entre pares de uma forma eficiente e acessível.
  • Problema a resolver: Para compreenderes bem o objetivo da tua DApp, é necessário identificar o problema que ela vai resolver. Qual é a necessidade ou lacuna no mercado atual que a tua DApp vai resolver? Perguntas como estas vão ajudar-te a definir o problema com precisão e a conceber uma solução eficaz. Seguindo o exemplo anterior, a DApp financeira poderia resolver o problema da falta de acesso ao crédito a preços acessíveis para certos grupos de pessoas.
  • Benefícios e valor: Para além de resolver um problema, é importante considerar os benefícios que a tua DApp irá proporcionar aos utilizadores. Como é que isso vai melhorar a tua vida ou a tua experiência? Qual o valor acrescentado que oferece? A identificação destes benefícios vai ajudar-te a comunicar eficazmente o valor da tua DApp a potenciais utilizadores e investidores.
  • Público-alvo: Define a quem se destina a tua DAPP. Quem são os potenciais utilizadores? Em que segmento demográfico se encontram? Compreender o teu público-alvo permitir-te-á adaptar a tua DApp às suas necessidades e preferências.
  • Métricas de sucesso: Para avaliar o desempenho da tua DApp, estabelece métricas de sucesso claras. Como vais medir a realização dos teus objectivos? Por exemplo, se a tua DApp é uma plataforma de troca de activos digitais, uma métrica de sucesso pode ser o volume de transacções mensais.
  • Viabilidade técnica e jurídica: Considera a viabilidade técnica e jurídica do teu projeto. É possível desenvolver a DAPP com os recursos e as competências disponíveis? Cumpre os requisitos regulamentares e legais? A avaliação destas questões desde o início é essencial para evitar obstáculos imprevistos em fases posteriores do desenvolvimento.

Seleção da plataforma de cadeia de blocos:

Escolher a plataforma de blockchain certa é um passo crítico no processo de desenvolvimento de um DApp. Cada plataforma oferece características e vantagens únicas, pelo que é importante avaliar as suas necessidades e objectivos específicos antes de tomar uma decisão. O processo de seleção é explicado mais detalhadamente a seguir:

  • Ethereum: O Ethereum é uma das plataformas de blockchain mais populares e amplamente utilizadas para o desenvolvimento de DApps. O seu robusto ecossistema de contratos inteligentes e a grande comunidade de programadores tornam-na uma escolha atractiva. No entanto, o Ethereum tem enfrentado desafios relacionados com a escalabilidade e os custos do gás, pelo que é importante ter em conta estas limitações.
  • Binance Smart Chain: Binance Smart Chain é uma blockchain compatível com Ethereum que ganhou uma grande base de utilizadores devido à sua velocidade e custos de transação mais baixos. É uma boa opção para DApps que procuram uma alternativa ao Ethereum sem sacrificar o suporte a contratos inteligentes.
  • Solana: Solana é conhecida pela sua alta velocidade e escalabilidade, o que a torna adequada para DApps com requisitos de alto desempenho, tais como jogos e aplicações de transacções intensivas. Solana utiliza uma abordagem de consenso única chamada Prova de História (PoH) para atingir a sua velocidade.
  • Polkadot: Polkadot destaca-se pela sua interoperabilidade, permitindo que os DApps interajam com várias cadeias de blocos. É uma excelente escolha para aplicações que precisam de tirar partido de diferentes cadeias de blocos ou que pretendem fazer parte de um ecossistema mais vasto.
  • Custos: Avalia os custos associados à plataforma blockchain. As taxas de transação (taxas de gás) podem variar significativamente entre diferentes blockchains, o que pode afetar a rentabilidade da tua DApp e a experiência do utilizador.
  • Ecossistema de desenvolvimento: Considera o apoio da comunidade e dos programadores. Uma comunidade ativa e um vasto conjunto de ferramentas de desenvolvimento podem ser fundamentais para o sucesso do teu projeto.
  • Segurança e consenso: Examina o mecanismo de consenso utilizado pela plataforma e o seu historial de segurança. A segurança é uma prioridade quando se trata de DApps, uma vez que os contratos inteligentes contêm valor financeiro e devem ser resistentes a vulnerabilidades.
  • Escalabilidade: Se prevê um crescimento significativo do número de utilizadores ou de transacções, a escalabilidade é um fator essencial. Algumas plataformas estão mais bem equipadas do que outras para escalar de forma eficiente.

Quais são as principais cadeias de blocos?

Desenvolvimento do DApp

Passo a passo para o desenvolvimento:

Ao iniciar o desenvolvimento de uma DApp, é essencial seguir um processo claro e metódico. Segue-se um resumo conciso das principais etapas:

Escolha da linguagem de programação:

Escolhe uma linguagem de programação adequada ao desenvolvimento de contratos inteligentes. Se estiveres a utilizar Ethereum, Solidity é a escolha mais comum devido à sua compatibilidade e suporte.

Desenvolvimento do contrato inteligente:

Cria um contrato inteligente que define a lógica central do teu DApp. Isto implica a definição de regras, condições e funções que determinam o comportamento da tua aplicação. Certifica-te de que testas minuciosamente o contrato para detetar vulnerabilidades.

Conceção da interface do utilizador (IU):

Para a interface de utilizador da tua DApp, podes utilizar tecnologias modernas como React.js ou Next.js para o front-end e Node.js para o back-end. Estas tecnologias são populares no desenvolvimento Web e oferecem uma vasta gama de ferramentas e bibliotecas para criar interfaces de utilizador atraentes e funcionais.

Front-End com React.js ou Next.js:

React.js e Next.js são bibliotecas de código aberto e estruturas de desenvolvimento para a criação de interfaces de utilizador interactivas. Podes utilizar o React.js para construir componentes reutilizáveis e gerir o estado da tua DApp de forma eficiente. Next.js é uma extensão React que simplifica a criação de aplicações Web rápidas e de elevado desempenho.

Back-End com Node.js:

O Node.js é uma plataforma de tempo de execução JavaScript amplamente utilizada no desenvolvimento de aplicações de servidor e back-end. Podes utilizar o Node.js para gerir a lógica empresarial, a interação de contratos inteligentes e a comunicação com a cadeia de blocos.

Ligação com a cadeia de blocos:

Utiliza bibliotecas e SDKs específicos para a blockchain que estás a utilizar (por exemplo, Web3.js para Ethereum) para ligar a tua DApp à rede blockchain. Isto permitir-te-á interagir com o contrato inteligente e ler/escrever dados na cadeia de blocos.

Testes e otimização:

Realiza testes extensivos em todas as fases de desenvolvimento para garantir que a tua DApp funciona de forma eficiente e sem erros. À medida que fores progredindo, optimiza o código e a interface do utilizador para melhorar a experiência do utilizador.

Implantação na cadeia de blocos:

Quando tiveres concluído o desenvolvimento e os testes, implementa a tua DApp na blockchain da tua escolha. Isto implica gastar uma quantidade de criptomoedas (normalmente ether no Ethereum) para garantir um espaço na blockchain.

Manutenção contínua:

O desenvolvimento de uma DApp é um processo contínuo. Terás de manter e atualizar a tua aplicação para resolver problemas de segurança, melhorar o desempenho e acrescentar novas funcionalidades à medida que o ecossistema da cadeia de blocos evolui.

Promoção e aquisição de utilizadores:

Finalmente, promove a tua DApp para atrair utilizadores e construir uma base de utilizadores sólida. Utiliza estratégias de marketing, redes sociais e comunidades de blockchain para aumentar a visibilidade do teu DApp.
Esta abordagem passo a passo ajudar-te-á a desenvolver um DADP eficaz e atrativo. Certifica-te de que manténs um equilíbrio entre funcionalidade, segurança e experiência do utilizador durante todo o processo de desenvolvimento.

Conclusões

Em suma, o processo de criação de uma aplicação descentralizada (DApp) na cadeia de blocos é uma viagem emocionante que abre a porta à descentralização e à transparência. Ao compreenderes os conceitos fundamentais, um planeamento sólido e uma execução cuidadosa, podes dar vida à tua própria DApp e contribuir para o crescimento deste espaço tecnológico excitante. A criação de DApps não só transforma a forma como interagimos com a tecnologia, como também promove uma mudança significativa no funcionamento de vários sectores, dando às pessoas maior autonomia e controlo sobre os seus dados e bens. Este percurso na criação de DApps representa uma oportunidade de inovação e de mudança positiva na era digital.

O investimento em cripto-activos não está regulamentado, pode não ser adequado para pequenos investidores e o montante total investido pode ser perdido. É importante leres e compreenderes os riscos deste investimento, que são explicados em pormenor.

Contáctanos
Contáctanos
Hola 👋 ¿En qué podemos ayudarte?