Skip links

O que é a tokenização de activos reais na Blockchain?

$1.87

7.87%

Em pleno ano de 2024, a tecnologia blockchain está a redefinir os fundamentos da economia e do comércio, introduzindo conceitos inovadores que prometem transformar a forma como pensamos a propriedade e a transferência de bens. Um destes conceitos revolucionários é a tokenização de activos, um processo que permite a representação digital de bens e direitos na cadeia de blocos. Esta abordagem não só facilita novas formas de investimento e financiamento, como também promete tornar as transacções mais seguras, mais rápidas e mais transparentes. De seguida, vamos explorar em pormenor o que é a tokenização de activos, como funciona e o impacto que tem no mundo financeiro.

O que é a tokenização?

Quando falamos de tokenização de activos, referimo-nos à criação de tokens digitais que funcionam como representações digitais de um ativo real ou dos direitos a ele associados. Estes tokens são armazenados numa cadeia de blocos, o que garante a sua integridade, inalterabilidade e rastreabilidade. Cada token está inequivocamente ligado a uma carteira digital, que comprova a propriedade ou o direito de transferir o ativo tokenizado para o titular da carteira.

A tokenização não é apenas a digitalização de activos; representa uma reestruturação fundamental da forma como os activos podem ser detidos, trocados e geridos no mundo digital. Ao converter os direitos sobre a propriedade física ou intelectual em fichas digitais numa cadeia de blocos, é proporcionada uma camada adicional de segurança e eficiência que era impensável nos sistemas tradicionais.

A tokenização abre um vasto leque de possibilidades em termos dos tipos de activos que podem ser tokenizados. Inclui bens móveis e imóveis, activos tangíveis e intangíveis, bem como direitos legais. Podem ser activos fungíveis, como moedas ou mercadorias, ou activos não-expendíveis, como obras de arte ou bens imóveis. A diversidade de bens que podem ser tokenizados é vasta, desde os que fazem parte do comércio tradicional até aos bens do domínio público ou privado, presentes ou futuros, divisíveis ou indivisíveis.

A tokenização na blockchain manifesta-se de várias formas, sendo os tokens ERC-20 e os tokens não fungíveis (NFTs) duas das representações mais comuns e tecnicamente distintas. Estes tipos de token funcionam na cadeia de blocos Ethereum, embora conceitos semelhantes se apliquem a outras cadeias de blocos. Cada um tem características e aplicações específicas que os tornam adequados para diferentes fins.

Tokens ERC-20

O padrão ERC-20 é um dos padrões mais antigos e mais amplamente adotados para tokenização na blockchain Ethereum. Define um conjunto comum de regras que os tokens devem seguir dentro da plataforma para garantir a interoperabilidade entre diferentes interfaces, como carteiras digitais e bolsas. Os tokens ERC-20 são fungíveis, o que significa que cada token é idêntico e pode ser trocado um pelo outro sem perder valor. Isto torna-as ideais para criar moedas digitais, representar acções de uma empresa ou como meio de troca em aplicações descentralizadas (dApps).

As principais características dos tokens ERC-20 incluem:

  • Uniformidade: Todas as fichas são idênticas em tipo e valor.
  • Interoperabilidade: Podem ser facilmente trocados e utilizados em várias aplicações na rede Ethereum.
  • Programabilidade: Permite a integração com contratos inteligentes para automatizar processos como pagamentos e transacções.

Tokens não fungíveis (NFT)

Os tokens não fungíveis (NFTs) são únicos e não podem ser trocados diretamente por outro token de forma equivalente. Cada NFT tem um identificador único que o distingue de outros tokens, permitindo a representação digital de bens únicos, como arte, objectos de coleção, imóveis no mundo virtual e muito mais. Este tipo de token tornou-se popular principalmente através do padrão ERC-721, embora existam outros padrões, como o ERC-1155, que oferecem maior flexibilidade, permitindo a criação de tokens fungíveis e não fungíveis dentro do mesmo contrato.

Principais características das NFTs:

  • Unicidade: Cada ficha tem atributos únicos e não pode ser trocada uma por uma com outra NFT.
  • Propriedade verificável: A cadeia de blocos regista a propriedade e o histórico de transacções de cada NFT, garantindo a sua autenticidade e proveniência.
  • Interoperabilidade: Tal como acontece com os tokens ERC-20, os NFTs podem interagir com diferentes aplicações e mercados dentro da blockchain Ethereum.

O que é a tokenização na Blockchain?

Outros tipos de tokenização

Para além do ERC-20 e dos NFT, existem outras normas de tokenização que respondem a necessidades específicas, como o já referido ERC-1155, que permite a criação de contratos inteligentes mais eficientes, combinando tokens fungíveis e não fungíveis no mesmo contrato. Isto é especialmente útil em aplicações de jogos e coleccionáveis digitais, onde podem ser necessárias tanto moedas (fichas fungíveis) como itens únicos (fichas não fungíveis).

A escolha entre estes tipos de tokenização depende da aplicação específica e dos requisitos do projeto. Enquanto os tokens ERC-20 são ideais para representar activos ou títulos uniformemente permutáveis, os NFT oferecem uma solução para digitalizar a propriedade de activos únicos, abrindo um leque de possibilidades de criação de valor no espaço digital.

Casos de utilização e sectores em que a tokenização é aplicável

A tokenização, com a sua capacidade de digitalizar a propriedade e os direitos de activos na cadeia de blocos, encontrou aplicações práticas numa vasta gama de indústrias e casos de utilização. Estas aplicações não só demonstram a versatilidade da tecnologia blockchain, como também assinalam uma mudança para sistemas mais transparentes, seguros e eficientes em várias áreas económicas e sociais.

Tokenização no sector financeiro e bancário

Tokenização de activos nas finanças e na banca

A tokenização no sector financeiro e bancário está a redefinir as estruturas tradicionais de investimento, empréstimo e gestão de activos, introduzindo uma eficiência, segurança e acessibilidade sem precedentes. Este avanço tecnológico permite que os activos financeiros sejam representados digitalmente na cadeia de blocos, facilitando a sua troca e gestão de uma forma mais fluida e transparente.

No domínio das criptomoedas e dos activos digitais, a tokenização tem sido fundamental. As moedas digitais, como a Bitcoin e a Ethereum, são exemplos de como a tecnologia blockchain pode ser utilizada para criar e gerir dinheiro digital de forma segura. Estas criptomoedas introduziram um novo paradigma na troca de valor, eliminando os intermediários e permitindo transacções directas entre partes em qualquer parte do mundo.

A tokenização também teve um impacto significativo na representação de acções e títulos nos mercados financeiros. A conversão de acções de empresas em tokens numa cadeia de blocos facilita a negociação em mercados secundários, alarga o acesso a investidores globais e melhora a liquidez destes activos. Trata-se de uma evolução na forma como as acções das empresas podem ser adquiridas, vendidas e geridas, reduzindo os custos e o tempo associados a estas operações.

Outro caso de utilização inovador é a tokenização da dívida, que permite que as obrigações ou outras formas de dívida sejam emitidas como tokens digitais. Isto simplifica o processo de emissão, torna o acesso ao capital mais eficiente para as empresas e abre novas oportunidades de investimento para o público. A tokenização da dívida pode reduzir significativamente a barreira à entrada de investidores, permitindo-lhes participar em investimentos tradicionalmente reservados a instituições ou a indivíduos com elevado património líquido.

Tokenização de bens imobiliários (bens imobiliários)

O que é a tokenização do sector imobiliário?

Uma das mudanças mais notáveis introduzidas pela tokenização no sector imobiliário é a facilitação do fracionamento de propriedades. Tradicionalmente, o investimento em bens imobiliários implicava a compra de propriedades a título definitivo ou a participação em fundos de investimento imobiliário (REIT), opções que estão muitas vezes fora do alcance financeiro de muitos investidores individuais. No entanto, através da tokenização, uma propriedade pode ser dividida em vários tokens digitais, cada um representando uma fração da propriedade do ativo. Isto reduz significativamente o investimento mínimo exigido, permitindo que um espetro mais vasto de investidores participe no mercado imobiliário.

A melhoria da liquidez é outra vantagem significativa. O sector imobiliário é conhecido por ser um investimento relativamente ilíquido devido aos longos processos de venda e aos elevados custos de transação. No entanto, os tokens que representam bens imobiliários podem ser comprados e vendidos em plataformas de troca secundárias especificamente concebidas para activos tokenizados, facilitando assim transacções mais rápidas e menos dispendiosas.

Além disso, a tokenização confere transparência e segurança às transacções imobiliárias. Cada token contém informações sobre o ativo subjacente, incluindo o seu valor, localização e detalhes de propriedade, todos registados na cadeia de blocos. Isto garante a integridade da informação e reduz o risco de fraude, simplificando simultaneamente o processo de diligência devida para os investidores.

A tokenização também abre novas oportunidades de financiamento para os proprietários e promotores imobiliários. Em vez de dependerem exclusivamente de empréstimos bancários ou de investidores institucionais, podem emitir tokens para angariar capital diretamente de um mercado global de investidores, oferecendo uma alternativa mais flexível e potencialmente menos dispendiosa para o financiamento de projectos imobiliários.

Tokenização de obras de arte

A tokenização da arte representa uma das aplicações mais inovadoras e disruptivas da tecnologia blockchain, redefinindo a criação, a propriedade e o marketing da arte na era digital. Através de tokens não fungíveis (NFTs), as obras de arte digitais e físicas podem ser representadas na cadeia de blocos, proporcionando uma autenticação inequívoca e uma rastreabilidade total da obra de arte. Esta transformação digital não só beneficia artistas e coleccionadores, como também abre um novo horizonte de possibilidades para a indústria da arte.

Autenticidade e proveniência

Um dos maiores desafios no mercado da arte tem sido garantir a autenticidade e a proveniência das obras. A tokenização resolve eficazmente este problema ao registar cada peça de arte como um NFT na cadeia de blocos, garantindo uma prova irrefutável de autenticidade e propriedade. Cada ficha está ligada a um registo digital único que inclui o historial completo da obra, desde a sua criação até às transacções actuais e anteriores. Isto facilita significativamente o processo de verificação e reduz o risco de contrafação e de disputas de propriedade.

Monetarização e direitos de autor

Para os artistas, a tokenização abre novas vias para a monetização e a proteção dos seus direitos. Ao simbolizarem as suas obras, podem vendê-las diretamente a coleccionadores sem necessidade de intermediários, como galerias ou casas de leilões, o que lhes permite reter uma maior parte dos lucros. Além disso, os contratos inteligentes associados aos NFTs podem ser programados para atribuir aos artistas uma percentagem das vendas secundárias, garantindo que recebem uma compensação justa pelo seu trabalho ao longo do tempo.

Acesso e liquidez

A tokenização democratiza o acesso ao mercado da arte, permitindo que um espetro mais vasto de coleccionadores participe na compra e venda de obras de arte. Os NFT podem ser fraccionados, o que significa que os investidores podem adquirir uma peça de uma obra de arte de elevado valor, algo que era difícil de conseguir no mercado tradicional. Isto não só aumenta a base de coleccionadores potenciais, como também melhora a liquidez no mercado da arte, facilitando a rápida compra e venda de obras.

Nova norma ERC-3643 para a tokenização de activos reais

Norma de tokenização de activos reais

A norma ERC-3643 representa uma inovação significativa no ecossistema Ethereum, assinalando um marco na tokenização de activos do mundo real. Esta nova norma promete abordar alguns dos desafios mais complexos associados à representação digital de activos físicos na cadeia de blocos, oferecendo soluções robustas para a autenticidade, propriedade e transferência destes activos no mundo digital.

Inovações e características do ERC-3643

O ERC-3643 introduz mecanismos específicos concebidos para melhorar a eficiência, a segurança e a interoperabilidade dos tokens que representam activos reais. As suas principais características incluem a implementação de protocolos avançados para a verificação da autenticidade dos activos e a clareza da propriedade e da transferência de activos. Isto significa que cada token gerado ao abrigo do padrão ERC-3643 traz consigo uma certificação digital imutável da sua correspondência a um ativo físico específico, garantindo assim a confiança e a transparência nas transacções.

Impacto na indústria e no mercado

A adoção da norma ERC-3643 tem o potencial de transformar radicalmente vários sectores, incluindo o imobiliário, a arte, os objectos de coleção e outros. Ao facilitar uma representação mais fiável e segura dos activos do mundo real na cadeia de blocos, estão a abrir-se novas vias para o investimento, o comércio e a gestão de activos digitais. Isto não só alarga o mercado de destino destes activos, como também melhora a liquidez e reduz os obstáculos à entrada de investidores e participantes no mercado.

Desafios e oportunidades

A implementação do ERC-3643 também coloca desafios, nomeadamente em termos de regulamentação e de adoção pela indústria. A necessidade de normas jurídicas e quadros regulamentares claros é fundamental para garantir que a tokenização de activos do mundo real se desenvolva de forma segura e eficaz. Além disso, a educação e a colaboração entre os criadores de cadeias de blocos, as empresas e as entidades reguladoras serão fundamentais para maximizar o potencial desta nova norma.

Conclusões

A tokenização, sustentada por uma tecnologia robusta de cadeia de blocos, está a posicionar-se como uma das inovações mais transformadoras da nossa era, redefinindo a forma como interagimos com activos de todos os tipos, desde bens imobiliários e arte a activos financeiros e muito mais. Através da criação de fichas digitais que representam a propriedade ou direitos sobre activos reais e digitais, a tokenização oferece um mecanismo mais seguro, transparente e eficiente para comprar, vender e gerir activos.

Em conclusão, a tokenização está a inaugurar uma nova era na gestão de activos, oferecendo um caminho para sistemas mais inclusivos, eficientes e transparentes. À medida que esta tecnologia continua a evoluir e a expandir-se para novos sectores, o seu impacto na economia e na sociedade promete ser profundo e de grande alcance, redefinindo o que é possível no mundo do investimento e da propriedade de activos.

O investimento em cripto-activos não está regulamentado, pode não ser adequado para pequenos investidores e o montante total investido pode ser perdido. É importante leres e compreenderes os riscos deste investimento, que são explicados em pormenor.

Contáctanos
Contáctanos
Hola 👋 ¿En qué podemos ayudarte?